10 de novembro -Sempre fazer o bem

estender-a-mc3a3o2

Portanto, pensem nisto: Quem sabe que deve fazer o bem e não o faz comete pecado.
Tiago 4:17

 

Tem coisas que me entristecem e não deveriam. Uma delas é ficar triste por causa da forma como os outros agem comigo. Parece normal para você? deixe-me explicar. Pense comigo. Muitas vezes nos dispomos a fazer o bem e o fazemos com amor, discretamente, em cumprimento à Palavra de Deus. De repente, temos a triste oportunidade de perceber que a pessoa que tanto ajudamos não age da mesma maneira conosco. Que decepção! Imagine: Você está sempre à disposição daquela pessoa ou dá prioridade a ajudá-la, mas ela não faz o mesmo ou sequer se lembra de você.

Na verdade, estamos errados quando esperamos um tratamento justo daqueles com quem agimos com justiça e retidão. E costumamos, por mais que saibamos que não devemos, esperar gratidão, bondade, dedicação, amizade em troca. Estamos mesmo errados. Não devemos fazer o bem esperando nada em troca. Devemos estender a mão sempre que pudermos e jamais esperar recompensa por isso ou reciprocidade por parte de quem ajudamos.

Antoine de Saint-Exupery disse que o amor verdadeiro começa lá onde não se espera mais nada em troca. De fato, quando não esperamos mais nada de alguém e assim mesmo o ajudamos, mesmo triste com suas atitudes de ingratidão, frieza, isso é amor mesmo. A Palavra de Deus nos exorta a fazermos sempre o bem, a termos paz com todos, a pagarmos o mal com o bem e o apóstolo Tiago ainda afirma que se não fazemos o bem quando podemos fazê-lo estamos pecando e desagradando profundamente a Deus.

Acredito que ainda vai levar um tempo para que eu, definitivamente, pare de me entristecer com a falta de doação, dedicação, amor, ajuda por parte de pessoas que amo e estou sempre me dedicando e fazendo o bem, mas, ainda que tenha esse sentimento que não é correto, embora humano, não deixarei de fazer o bem sempre que puder. Por amor, por obediência e por fé. A decepção vai ficando para trás. Importa mesmo é agradar a Deus.